Entrevistas Paulo Bastos - Mestrado

Entrevista – Roberto Moritz – 25/04/2018

NOME: Roberto Moritz

LOCALIDADE: São Pedro, Funchal

NATURALIDADE: São Pedro, Funchal

 

Que modelo(s) de cavaquinho toca? E com que afinações?

Não considerando que seja um modelo de cavaquinho, mas sim um derivado do cavaquinho, toco Braguinha/Machete, com a afinação Ré-Si-Sol-Ré(grave)

 

Há quanto tempo toca cavaquinho? Como é que tudo começou? (pequena biografia no que diz respeito/orientada ao cavaquinho)

Toco braguinha há cerca de 27 anos, tendo começando numa instituição pública de atividades extraescolares (Gabinete de Apoio à Educação Artística, da Secretaria Regional de Educação RAM). Esta prática iniciou-se por estímulo próprio, apesar de havido uma referência de amigos que já tocavam.

 

O que o fascina no cavaquinho português particularmente? O que o faz apreciar e escolher o instrumento para se exprimir artisticamente?

Como foi sempre o braguinha o instrumento principal que me acompanhou na minha atividade musical, adquiri uma afinidade musical com a sua sonoridade e particularidade cultural.

 

Quais as suas referências e influenças musicais mais importantes na abordagem ao cavaquinho? E qual a sua importância?

É certo que a grande referência nacional deste instrumento é Júlio Pereira, que desde cedo quando despertei para a aprendizagem musical me foi apresentado o seu trabalho discográfico “Cavaquinho”, tendo-me identificado tanto com a sonoridade como a estética musical. Apesar de haver algumas diferenças entre os instrumentos cavaquinho e braguinha, são apesar disso cordofones identificativos de uma cultura portuguesa. A nível regional posso salientar Vítor Sardinha, que apesar de não tocar braguinha, foi dos primeiros a desenvolver novas composições com cordofones tradicionais – rajão e viola de arame madeirense. Foi um estímulo importante.

 

Que outros instrumentistas/tocadores solistas de cavaquinho conhece que considera relevantes?

(Entenda-se como solista o instrumentista SOLISTA que faz um concerto do inicio ao fim em que o Cavaquinho é o ponto central/solista ou o instrumentista que tenha editado/gravado um ou mais CDs em que o cavaquinho é o ponto central/solista em todas as músicas ou quase na totalidade delas (quando se refere ponto central/solista pretende-se dizer instrumento que toca a solo sozinho ou que tocando em grupo faz a parte mais relevante e importante da música, ou seja o que tipicamente se chama a melodia/parte principal).

Posso referir músicos com essas características tais como Daniel Pereira, Luís Peixoto, Amadeu Magalhães, e eu próprio.

 

Que associações culturais conhece ligadas à música onde o cavaquinho seja um interveniente de alguma forma? Quais?

Associação Musical e Cultural Xarabanda, Associação Flores de Maio e algumas Casas do Povo da RAM.

 

Que repertório utiliza nos seus projetos em que inclui cavaquinho? Desenvolveu algum repertório original/arranjos para Cavaquinho Português? Pode por favor enumerar aqui? Pode também fornecer partituras ou áudio ou vídeo ou link de internet para estes elementos multimédia?

Neste momento os projetos que estou envolvido com o braguinha variam entre repertório tradicional/popular e originais.

Quanto aos originais para braguinha enumero alguns exemplos: 25 Fontes (https://www.youtube.com/watch?v=bAY3tfxFGwg), Pão do Norte (https://www.youtube.com/watch?v=LUZRRHKRomc), Pitangueira (https://www.youtube.com/watch?v=hVfQCf2jC-E), Dança da toutinegra (https://www.youtube.com/watch?v=nhDNQNGPvwM).

 

Que técnicas utiliza no cavaquinho português? Quais das mesmas são as que utiliza com mais frequência?

Acompanhamento harmónico (rasgado ou dedilhado) e ponteado (com o polegar ou indicador e médio)

 

Considera que o Cavaquinho Português é um instrumento levado suficientemente a “sério” nos diferentes meios musicais?

Ainda não. No caso da Madeira, Apesar de já se começar a mostrar através de projeto e iniciativas várias as suas potencialidades, ainda persiste o preconceito que o braguinha será apenas para tocar musical de folclore e de uma forma rudimentar.

 

Acha viável uma carreira de músico solista especializado e fazendo carreira apenas e só no cavaquinho português (sem necessitar de tocar mais nenhum instrumento)?

Penso que é possível, se bem que muito difícil.

 

Quais as dificuldades que teve (ou acha que teria) ao tentar ser um músico solista de cavaquinho?

Posso enumerar uma, que é a descobrir a melhor forma de amplificar o som do instrumento, para ser possível estar em palco de forma confortável (sonoramente falando)

 

Quais as facilidades e vantagens que considera ter (ou que pensa que teria) como músico solista de cavaquinho?

Por ser uma novidade, o despertar da curiosidade de novos públicos.

 

Considera que faz sentido explorar o cavaquinho português como instrumento solista? Porquê?

Sim, porque é um instrumento com potencial, tal como outro qualquer.

 

Que acha da utilização da nomenclatura Cavaquinho Português para de forma agregadora denominar e agrupar todos os modelos de cavaquinho português (modelo minhoto e diferentes modelos urbanos do continente e ilhas)?

Não considero ser a melhor designação, visto Cavaqinho estar associado a um instrumento com determinadas características próprias. E havendo outros instrumentos com características e designação diferentes, seria, culturalmente falando, redutor. Penso que o nome genérico não poderá ser Cavaquinho, tendo de se procurar um mais abrangente.

 

Como vê o futuro do cavaquinho português enquanto instrumento solista?

Para que tenha mais projeção cultural na sociedade, penso que será importante surgirem mais e bons executantes. Para tal seria necessário investir na Educação, pelo ensino do instrumento nas escolas.

No caso da Madeira, essa aposta foi feita já desde há cerca de 35 anos, denotando-se uma evolução na prática do braguinha.

 

Que projetos tem para o futuro no que diz respeito ao cavaquinho Português?

Com o braguinha, está apontado o projeto discográfico com o projeto de originais Quarteto Moritz.

 

Que assuntos gostaria de ver estudados sobre o cavaquinho português?

Poderei sugerir os temas acerca das variantes de cordofones de mão em todo o território português (cavaquinho e braguinha): repertórios, investigações históricas, etc..

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *